Calendário Letraria 2021: a ideia

Da esquerda para a direita: Melissa, Lucinéia e Dalton - família que gosta de ler

Ao longo de 2020, foi organizada a elaboração do Calendário 2021 da Letraria, em versão digital. Foram promovidas sessões de fotos que registraram voluntários e parceiros durante os meses insanos do ano. Não faltaram máscaras, álcool gel, livros e o megafone, símbolo do coletivo.

O trabalho foi todo realizado a partir da autenticidade dos fotografados e da criatividade de fotógrafos profissionais voluntários. Juntos, eles deram um show! É importante lembrar que os espaços físicos também foram cedidos gentilmente por parceiros cheios de boa vontade, e o layout e a diagramação foram produzidos com dedicação.

A ideia inicial foi a de registrar a paixão por livros e reportar o que foi ocorrendo nos últimos meses de 2020. Ansiedade, desencontros, arte, reencontros, leituras, tudo nas páginas do calendário.

E a produção atrasou por questões sérias e pessoais dos voluntários – nada relacionado à saúde, felizmente – e o que deveria estar pronto em dezembro, chega já no primeiro mês de 2021. Perdão, aqui cabe a pergunta: o que não atrasou em 2020?

Logo na capa, os leitores Melissa e Dalton, acompanhados da mãe, Lucinéia Marques, também leitora. O clique foi registrado pelo fotógrafo Nilton Fukuda, em julho de 2020, na Zona Leste de São Paulo. Na época, a Melissa já tinha lido 16 livros!

O projeto gráfico é assinado por Gustavo Lopes e o desenvolvimento web é de Carlos Lopes. Acompanhe, nos próximos dias, as demais postagens acerca do Calendário 2021 da Letraria, e fique atento às dicas de livros dos parceiros fotografados.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Já que você está aqui

Veja também

Vem aí a segunda ação da Letraria

No próximo sábado, dia 30 de outubro, será realizada a segunda ação cultural da Letraria. Em parceira com a CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, serão distribuídos 300 livros de temas diversos, como romance, poesia, infantis e infanto-juvenis, na área externa da estação CPTM Guaianazes. Este evento marca a retomada das ações presenciais em

Hobbies do fim do mundo

Texto: Manoela Victoria / Ilustração: Rapha Kobayashi Nesta quarenta uma coisa que ficou clara é como a criatividade é inata no brasileiro. Nunca foi segredo a nossa criatividade e a capacidade do nosso “se vira”, essa habilidade sempre foi tão corrente em nós como nossos rios. Sempre, em épocas difíceis, ela é capaz de dar as

Resenha: O caçador de pipas, de Khaled Hosseini

Por Camyla Rodrigues Amir e Hassan são dois garotos afegãos, amigos desde os primeiros passos. Os dois perderam suas mães logo após o nascimento e tiveram a mesma ama de leite, o que para eles é considerado um laço forte. Só que Amir é filho do patrão, e Hassan o filho do criado. Um pashtun

Afeto é uma ilustração em aquarela assinada por Aline Queiroz

A potência dos afetos

Eliana Santos Moura Quando utilizamos a palavra afeto, normalmente fazemos em contextos relacionados aos sentimentos de carinho, amizade ou amor.  Raramente pensamos no afeto enquanto aquilo que nos afeta, provocando em nós uma transformação. Pensar em afeto enquanto elemento que impulsiona transformações é a reflexão que proponho neste texto, no qual existem mais perguntas do

Rolar para cima